FORMATO

Código QRInfo

    Código QR 96466

Detalhe do registo

capa.jpg

Problemas sociais complexos e governação integrada [Texto impresso] : Rui Marques

AUTOR(ES): Marques, Rui

PUBLICAÇÃO: Lisboa: Forum para a Integração Integrada, 2017

DESC.FÍSICA: 244 p. : il., gráficos ; 24 cm

ISBN: 978-972-99721-9-5

NOTAS: A era da complexidade trouxe uma nova categoria de problemas. Os problemas complexos (wicked problems) constituem um novo desafio às organizações, atendendo ao seu perfil multidimensional, multicausal, dinâmico, aberto, interdependente, irrepetível e de evolução imprevisível. Este tipo de problemas colocou em crise as respostas organizacionais assentes no modelo burocrático, que se vocacionava para problemas lineares, aos quais respondia com soluções hierárquicas, em silo, isoladas, sequenciais, rígidas e uniformes. A resposta organizativa que lhe sucedeu, através da ascensão da “Nova Gestão Pública”, também não correspondeu a uma solução mais eficaz, dado que a sua abordagem fragmentada, competitiva e desintegrada, se mostrou igualmente desadequada.
“Qual o modelo organizacional adequado face a problemas sociais complexos?”, constitui a pergunta de partida, procurando-se, desde logo, compreender melhor a abordagem a problemas sociais complexos, como a integração de imigrantes e a promoção de direitos e proteção de crianças e jovens em risco ou perigo. O modelo de análise teve como ponto de partida o conceito de “problema social complexo” e como “lente teórica” a Teoria da Vantagem Colaborativa, no âmbito das Relações Interorganizacionais. No centro deste modelo teórico estão as alternativas de modelos organizacionais, entre os quais se destaca o que adiante se designará por “governação integrada”, em contraste com a burocracia e a “nova gestão pública”. A abordagem metodológica seguida foi de natureza qualitativa, nomeadamente através de dois estudos de caso: o Centro Nacional de Apoio ao Imigrante e a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens da Amadora. Utilizou-se a técnica de entrevista semidiretiva (tendo sido realizadas trinta e cinco entrevistas e feita a respetiva análise de conteúdo), e as análises documental e de imprensa (destacando-se, neste caso, a análise de conteúdo de notícias publicadas num jornal de referência sobre os objetos de estudo).
Para o tratamento da informação optou-se pela análise de conteúdo e análise quantitativa, usando o Wilder Collaboration Factors Index como referencial para avaliação da dinâmica colaborativa.
Do trabalho realizado conclui-se que, para a gestão de problemas complexos, a governação integrada, entendida como construção, manutenção e desenvolvimento de relações interorganizacionais de colaboração é um modelo eficaz e eficiente. Não se
ignora, porém, as suas fragilidades intrínsecas e as dificuldades no seu desenvolvimento.
De igual forma, a partir da revisão de literatura e dos estudos de caso, procurou-se compreender quais os fatores críticos de sucesso para uma governação integrada, olhando com particular atenção para o modelo de liderança, para a participação das partes
interessadas, para a comunicação e para a monitorização/avaliação e, resultando da interação de todos eles, para a geração ou dissipação de confiança.
Com o objetivo de aprofundar o modelo de análise inicial, é apresentada uma proposta de Matriz GovInt para abordagem a este modelo organizacional e um conjunto de princípios gerais para o desenvolvimento de governação integrada, inspirado na dinâmica dos
sistemas complexos adaptativos.

ASSUNTOS: BurocraciaColaboraçãoComplexidadeComunicaçãoConfiançaEficáciaEficiênciaLiderançaAvaliaçãoNova Gestão PúblicaParticipaçãoProblemas sociaisgovernação integradaPortugal

CDU: 334.012.46:658

DOCUMENTO(S): capa.jpg

Adicionar à lista
COTASIGLACÓDIGO BARRASTIPOESTADO
33 MAR PROBCI300100034941Consulta LocalLivre